terça-feira, 13 de outubro de 2015

13 de Dezembro


Hoje é 13 de dezembro e me visto de preto e vermelho.
Uma sexta13 a última do ano, para fechar com chave de ouro, tudo se torna especial no fim.
O dia foi coberto de nuvens , o sol demorou a aparecer e, quando se mostrou, veio sem sua força total.

Temos que tomar cuidado com esse brilho sem cor que, as vezes, ilumina nossa vida, não deixar-se ofuscar pela beleza da luz nem enganados pelo falso calor.
Uma forma talvez seja lembrar daquela sensação que surge quando começamos a traçar planos, percursos.
Existe uma excitação, ansiedade. Uma forte emoção que vai sendo contida pela nossa razão.
Cortamos aqui e ali, mudamos este e aquele trajeto e no fim temos um desenho torto: mistura de sonho e realidade.

E tentamos fazer do plano - verdade. O mundo vai colocar a prova nossas escolhas e capacidade de prever o imprevisível: A Vida.

Pense agora naquela sensação de chegar ao fim.

Diante de todas as frustrações das coisas que não conseguimos fazer, da felicidade proporcionada pelos encontros que o acaso nos trouxe e também de tudo que realmente aconteceu como planejado.
Seria essa a luz, coberta por nuvens, algo  ruim ou o dia perfeito?

O interessante é notar que os resultados do planejado e do acaso as vezes se invertem.
Mostrando que viver é uma experiência única e que todo sol é belo, mesmo em sua ausência.

Escudo e espada, preto e vermelho, amuletos e patuás, números de sorte e azar. Vão entrar e sair dos nossos dias, criando novas histórias, matando sonhos e criando novos... a única certeza é o incerto.

Mais uma vez voltando de mogi, o barulho ensurdecedor do trem se contrapondo ao sabor do beijo que me fez despertar para ir embora. O pensamento em tudo que foi o ano, os meses, o dia, as últimas horas. Talvez o último 13 de dezembro que sentirei isso tudo.

Neste dia, como em tantos outros em outros tempos... Guerras foram declaradas, líderes foram nomeados, acordos foram selados, um governo ditador assinava uma lei para massacrar seu povo.
Nasciam políticos, atletas, atores, músicos, economistas, e muitos outros que poderiam ser algo e não foram, o mundo não deixou.

O sol nasceu e se pôs, a dor veio, o amor veio e se foi.
Pintado de vermelho e preto o 13 é e sempre será, como qualquer outro número, qualquer outro dia.

Criem suas superstições, seus medos, forças, mas será sempre o ser humano a causa do bem e do mau que as cores e números são acusados.

domingo, 13 de setembro de 2015

13 de Novembro


Hoje é 13 de Novembro e eu me visto de preto e vermelho
O terceiro em uma quarta feira, que foi tomada pelo sol.
Este é o penúltimo mês, o penúltimo registro.

Faltam 40 minutos para meia noite e luto contra a preguiça e a procrastinação tentando escrever este texto e constatar que falta pouco tempo para o ano acabar e muita coisa para se fazer.
É incrível perceber como deixamos nossos objetivos escorrerem como água pelo boeiro. Enquanto as motivações de outrora se transformam em pesos em nossa vontade.

Aqui em meu quarto, um dia de trabalho se passou sem conseguir produzir, sem contato de amigos - ignorado, com discussões e briga nos relacionamentos - frio . E o tempo sem parar.

Lá fora, todos vivem suas vidas talvez tentando, como eu, cumprir uma das tantas metas traçadas no virar de ano. Vamos esquecendo,  nos esforçando para não sermos tragados pelo ralo também, os mais próximos, o mais fácil e o mais rápido, são o máximo que dá pra fazer. Na verdade, o minimo.

O mundo lá fora a cada dia tenta vencer meus escudos de preto e vermelho, minar sonhos de todos.
E nesses momentos já nem sei se crio barreiras de proteção ou de isolamento, se minhas cores são amuletos ou um distúrbio psicológico, se vou continuar negando que, como todos, também busco atenção.

Faltam 3 minutos pra meia noite, em breve o 13 será 14 e toda mística e magia terá se esvaído.

Neste dia, em outros tempos o universo nos presenteou com uma chuva de meteóros que riscou o céu com luzes e ninguém viu, um planeta explodiu na galáxia vizinha, e não vimos. Uma mulher negra corria pela mata tentando se livrar da escravidão e do estupro, mas foi assassinada e ninguém viu. Um vulcão entrou em erupção soterrando uma cidade, enquanto um garoto observava de longe a poeira e o fogo consumir suas lembranças da infância.

O 13 alterna o mostrar e o esconder.

Falta mais um...


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

13 de Outubro



Hoje é 13 de Outubro e eu me visto de preto e vermelho.
O calor surpreende neste domingo de primavera, até o clima parece perdido atualmente.
Acordei perto das 18h sem saber onde estava, o que tinha acontecido.
A última coisa que me lembrava era de estar reunido com meus amigos em minha casa, queríamos comer algo, mas não tinha nada na geladeira, nada realmente bom.
Saímos então para comprar alguma coisa e quando estávamos na rua um vapor quente nos assaltou.
A minha rua é uma ladeira, estava repleta de pessoas subindo e descendo. Parecia bem maior do que ela é. Ao ver a cena e pelo calor, as meninas sugerem pedir alguma coisa pelo telefone e voltam pra casa. Eu e meus dois amigos resolvemos descer a rua a pé.
O asfalto se transformou em areia amarela, camelos, pessoas de turbante, elefantes, os tons bege e pasteis tomavam conta da paisagem e eu de preto e vermelho. "Você não está com calor?" "Como consegue ficar assim?".
As casas foras substituídas por barracas, e nós três parávamos em algumas para verificar a mercadoria.
Muitas pessoas olhavam para mim, mas o foco da atenção muda quando sinos começam a tocar lá em cima da ladeira. Meus amigos se perderam por entre as pessoas sem rosto que me rodeavam. O céu escureceu. A multidão se reunia para a execução dos templários.

A garganta ainda ardia e o gosto do remédio ficou preso em minha boca seca. Sozinho no meu quarto, cabeça ainda zonza o dia se perdeu em delírios de febre e um sonho repetido que as vezes me assalta.
Já era por volta das 20h quando cheguei em Mogi, a beijei e o sentimento de vazio finalmente desapareceu.

Mais tarde, voltando pra casa, o farol do carro iluminou um cachorro vira-latas preto, uma mancha vermelha coroava sua cabeça e o chão a sua volta. O flash da imagem ficou em minha mente por mais 10 segundos.
Meu preto foi pelo, meu vermelho foi sangue.

Hoje, em outros tempos, acusados de traição foram executados, Santos fizeram sua última aparição, pela vida, sobreviventes de um acidente comiam seus companheiros mortos. 33 pessoas renasciam das profundezas da terra. Dia de nascimento de rainhas e morte de imperadores.  

O 13 alterna o doce e o amargo.

Faltam mais dois para o fim do ano.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

13 de Setembro


Hoje é 13 de Setembro e me visto de preto e vermelho.
O meu 13, pois é meu aniversário e por coincidência neste ano de 2013 uma sexta-feira.
Sendo assim, esse é o dia mais simbólico desta jornada.

O sol veio me parabenizar logo pela manhã ao sair de casa, crescendo em um céu sem nuvens e prometendo um dia belo. Em seguida, cruzo um filhote de gato preto e sorrio para ele. Com seus olhos verdes ele apenas me vê passar, calmo e na dele.
Alguns já estariam em crise nesse momento, cruzando com um gato preto em plena sexta13, mas para mim é mais um sinal de boa sorte, assim como o numero em si.

Muitos acontecimentos parecem escolher esta data para acontecer, é inegável, por exemplo, muitos Papas foram nomeados em dias 13, assim como reis, batalhas derradeiras em grandes guerras, acidentes...
Bom, talvez sejam apenas coincidências e reincidências normais da vida.

Para mim, foi apenas mais um dia, diferente de outros anos que "morri" por alguns dias, ou que fiz uma festa, neste fui trabalhar como em tantos outros e a noite fui para Mogi, viver minha gostosa rotina das sextas. Estou preparando uma festa, mas para a semana que vem, reunir o pessoal aqui em casa. Cultivar amizades.

31 mensagens de parabéns de algumas pessoas que nem conheço de fato. 3 e 1, Rs...
Isso me lembra o Projeto "O que deve ser dito" e a difícil proposta de manter relações menos superficiais, cultivar amizades verdadeiras. Plantar amores...
Sigo em frente na proposta, sem saber se estou fazendo o certo, as vezes parece que nada adianta.

Um dia as respostas virão, espero que em um dia 13 qualquer as boas noticias me cheguem e eu lembre dessas palavras.

Sobre ficar mais velho? não sei, os planos, projetos, sonhos que vão se acumulando e desenrolando a passos de tartaruga, a ansiedade de ser lembrando, ou apenas de não ser esquecido. A eterna tentativa de ser importante ou simplesmente relevante no mundo, ou no mundo de alguém.

Neste dia, em outros tempos uma criança nascia em suzano depois de quase 13 horas de parto, comemorava seus 5 anos junto com seus primos, com 11 anos em sua casa nova, com 15 com os amigos após a aula, com 20 em casa com os amigos, os 25 abraçado com sua namorada. Pessoas nasciam, outras morriam, guerras aconteciam, acordos eram selados, mas nada disso importa de verdade.



sábado, 13 de junho de 2015

13 de Agosto


Hoje é 13 de Agosto e me visto de preto e vermelho.
Uma terça bem diferente das outras que tive nos meses anteriores...
Aquelas coisas que falei sobre a rotina, e que é preciso aprecia-la, aproveitá-la enquanto a vivenciamos, por que ela sempre muda.
Pois é, do último 13 pra cá, muitas coisas mudaram no mundo, em meu mundo.
Em meio a cargas positivas e negativas, em meio a erros e a certos, vou tentando refazer planos e buscar novas possibilidades. Esta é a vida.
Alguns chamam esse período próximo ao aniversário de inferno astral, eu nunca sei em que acreditar. Sempre tento confiar no meus escudos e espadas de luta. O preto e o vermelho me dando forças para seguir em frente.

Não acordo mais no mesmo horário, nem faço os mesmos caminhos... quem diria.
No primeiro 13 do ano fiz este percurso para comemorar, depois passei a fazê-lo para trabalhar, mas agora aquele percurso já está fora dos meus dias.
Pode ser que em algum outro momento da minha vida, eu repita aqueles passos diários que deixei no tempo, meu traço de existência, que ficaram naquelas avenidas, ruas, mercados, padarias, pontos de ônibus e etc.

O tempo passa mais rápido agora, e eu tenho um monte de desejos e projetos que tento concluir em meio ao ócio, procrastinação, preguiça e falta de vontade.
Não é fácil vencer nossos próprios limites e fraquezas mentais e físicas.

Mas é preciso seguir, se cobrar e desejar mais de nós mesmos, pois não se pode evitar a vida.
Podemos evitar de viver, mas a vida segue, o melhor é sugar tudo que pudermos dela.

Neste dia, em outros tempos mais uma papa foi coroado, mais guerras foram travadas, e também batalhas mais nobres em jogos, na busca de mostrar o melhor do ser humano. Em meio ao nascimento de botânicos, filósofos e revolucionários e a morte de políticos, pintores e poetas. Sempre em um constante movimento em espiral. O mundo se copia, as vezes em comédia, outras em tragédia.

O 13 alterna o criar e o destruir.

E são em "trezes" como este que desejo mais força neste ano que já se aproxima do fim.

Video 7

quarta-feira, 13 de maio de 2015

13 de Julho


Hoje é 13 de Julho e eu me visto de preto e vermelho...
O Sol despontou cedo e nenhuma nuvem quis interpor o seu caminho deixando ele fazer deste um lindo Sábado.
Pela manhã coloquei a mochila nas costas junto com meu patins e fui ao parque praticar.

Uma paixão que surgiu quando era criança, junto com a febre dos anos 90 que pegou muita gente. Fiquei anos sem ter um patins para praticar. Ano passado porém, me dei este presente que tem me forçado a ser mais equilibrado, se é que me entendem.

Além de relembrar momentos da infância com meus primos patinando na rua de casa, das quedas, joelhos e rodas estouradas pelo asfalto novo, também revivi emoções e quedas hoje no parque. Diferente de andar de bicicleta, o patins a gente esquece.

Mas toda paixão tem dessas coisas, dores e alegrias, quedas, saltos, manobras, as vezes andamos de costas, as vezes corremos, as vezes queremos apenas sentir devagar...

Compartilhar paixões, um dos desejos que temos. Compartilhar com quem gostamos, ter interesses em comum, buscar essa compatibilidade de sensações no outro. Em você.

O Dia não terminou tão bem quanto começou, e agora no trem de volta pra casa, o frio domina o vagão. O Barulho, meu fone quebrado e memórias de uma briga. O peito fica apertado, os momentos se repetem em nossas cabeças, repensamos, recriamos nossas respostas, repensamos atitudes.
Meu vermelho foi adorno, meu preto minha camuflagem nas ruas totalmente escuras do meu bairro. Faltou Luz.   

Neste dia, em outros tempos uma das maiores cidades do mundo também ficou na escuridão. Jogos e concursos foram realizados em busca dos melhores e mais belos. Nasceram atores, compositores… se foram Papas e herdeiros, Bochechas sem Claudinhos...

O 13 alterna luz e sombra.

Que eu saiba apreciar o contraste de outros “treze” como este em minha vida.

Video 6

segunda-feira, 13 de abril de 2015

13 de Junho



Hoje é dia 13 de junho e me visto de preto e vermelho, nossa primeira quinta-feira, porém, mais um dia cinza em minhas memórias.
Acordei com músicas que se repetiram durante todo o meu dia. Pensando nas "Luzes da cidade" e no "Fim da tempestade", ou em "Como minha vida vai indo" e como será bom "Ver você novamente".
A sensação de saudade... como é bom estar voltando para um lugar cheio de lembranças.

As quintas são corridas, mesmo que o dia seja difícil, lembro que a noite terei algo que vai repor as minhas energias, ao menos as psicológicas.
O caminho de volta do trabalho para a academia é uma viagem com troca de ônibus, e caminhada, tudo no intuito de economizar e ao mesmo tempo, chegar o mais rápido possível.
Busco preencher esse tempo com leitura, músicas e as vezes refazendo mentalmente sequencias de treinos da capoeira.

Pensando em como a roda, o toque do berimbau e a energia de hoje no treino me fez bem é que busco sempre vencer a preguiça e o cansaço da semana e aproveitar ao máximo esses momentos.

Após chegar em casa, a luta é vencer a adrenalina e conseguir dormir, conversar com os amigos e dar umas risadas ocupam mais a mente e o tempo. Acabo de dar boa noite ao meu amor e escrevo as últimas linhas deste 13.

Neste dia, em outros tempos, o mundo esteve em guerra, com batalhas vencidas ou perdidas, novas tecnologias de aniquilação foram testadas e um astrônomo descobriu manchas na beleza do sol, alguns tentaram tratados de paz. Santas apareceram, santos morreram. Feriados vieram.
O 13 alterna o ter e o não ter.

Mais 13 estão por vir. Espero que muitas músicas invadam esses dias.

sexta-feira, 13 de março de 2015

13 de Maio de 2013


Hoje é 13 de Maio e eu me visto de preto e vermelho... Uma segunda de calor, com o céu azul forrado de nuvens. Isto compensa o fato de acordar cedo em uma segunda-feira. Ao sair de casa, enquanto fechava o portão, o sol despontava no horizonte por entre massas brancas tingidas de laranja e cinza. Poderia reclamar de qualquer coisa, afinal é segunda, porém o dia me sorriu e tudo que fiz foi retribuir. Aproveitei cada segundo dessa rotina, é a melhor que desenvolvi nos últimos 3 ano. Após terminar a faculdade, tentei trilhar meu caminho profissional buscando sempre estar próximo das coisas que gosto, arte, design, literatura, estes tem sido meus guias. O sentido que elegi para minha vida. As vezes as pessoas ficam angustiadas, buscando o sentido da vida, o motivo de estarmos aqui no mundo. Eu acredito que não exista um motivo, nós é que devemos criar esse caminho a seguir. Sonhar e buscar viver o sonho. Não é fácil, nada fácil. Porém a busca também nos leva a lugares que nunca tínhamos imaginados. E quem sabe nesses novos caminhos, encontremos novos sentidos? Por enquanto tem dado certo pra mim, apesar dos pequenos sacrifícios no caminho, a jornada me tem colocado pessoas e situações muito enriquecedoras. Apesar de sorrir, hoje não foi um dia de sorte. Acabei sendo vitima de minhas próprias ações. Tentei me proteger em meu preto e vermelho, como escudo, força, porém eles não foram capazes de me salvar. Não renego este dia de nenhuma forma. suas marcas vão moldar e mudar meu ser futuro, espero crescer com esse dia que foi bem difícil. Neste dia, em outros tempos... uma princesa tentava legitimar um direito humano que muitos morreram lutando para conquistar, dia em que muitos médicos e pintores vieram ao mundo, para que? Um dia em que alguns juravam ter visto santos enquanto outros atacavam símbolos terrenos de poder, divindade e repressão. O 13 alterna dadivas e sentenças. Feliz por esse "treze" ter acabado.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

13 de Abril


Hoje é 13 de Abril e eu me visto de preto e vermelho...
O 4º do ano, um sábado para variar.
O tempo ficou nublado por quase todo o dia apesar do calor, a chuva veio a tarde.
O som dela caindo no telhado e no quintal, o cheiro que os pingos deixam quando encontram o chão e levantam a poeira que estava quente no asfalto. 
Elementos que foram moldura para esta tarde preguiçosa.

Preguiça talvez seja a palavra do dia. Com a trilha sonora da chuva, cochilamos abraçados enquanto um filme qualquer rolava, janelas fechadas, a meia luz tentando invadir nosso esconderijo.

Em contraste com tudo lá fora, no mundo. Uma onda de protestos tomou conta, as pessoas saindo as ruas brigando por seus direitos, contra injustiças, tentando enfrentar a "grande máquina", o "grande moinho" que, como diria Cartola, acaba por triturar sonhos.

Mas não pra mim, não hoje. 
O meu hoje foi sonho, inércia e aproveitar o que a vida me deu...
Subir uma grande ladeira e ao chegar lá em cima, deitar e descansar, ser recebido com abraços, beijos... amor. 

Em dias assim tudo que desejamos é que o tempo congele, pois sabemos que o caminho de volta nos aguarda... sem saber o quê ele nos guarda.
As vezes o que realmente queremos é deixar tudo para trás e mudar. Este é o caso das pessoas lá fora. Aqui dentro estava tudo perfeito na imperfeição. 

Hoje meu preto foi guarda-chuva, barrando todos os problemas e meu vermelho foi cobertor, aquecendo e me separando do mundo.

Neste dia, em outros tempos, países foram reconhecidos, cidades foram fundadas, outras, invadidadas.
Tratados foram assinados, direitos de fé reconhecidos. No espaço, uma nave batizada com o curioso numero 13, não teve um dia de sorte...
Dia de nascimento de conspiradores e dramaturgos, de atletas e de politicos, uma data com mais nascimentos que mortes... ao que parece, um dia para criar, crescer, buscar, conquistar.

O 13 alterna o ganhar e o perder.

Espero reconhecer o sentimento desse dia não só em outros "trezes", mas em inumeros momentos da minha vida.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

13 de Março de 2013




Hoje é dia 13 de Março e eu me visto de preto e vermelho... O terceiro nessa estrada, novamente uma quarta. O frio e o cinza parecem ser a marca deste início de ano, estranhamente eles chegaram cedo, apagando o verão. Acabo de chegar em casa depois de um dia comum de trabalho, aquele recado que a vida nos dá. A rotina faz parecer que tudo será sempre igual, porém o mundo não para de mudar, girando lentamente, se movendo no espaço e no tempo. Era ainda 1h da manhã quando conversava com dois melhores amigos, assuntos parecidos com os que falávamos a 7, 8 anos atrás, parecidos, mas não os mesmos. Nós mudamos, entre tropeços e acertos, tentando aprender com nossos erros e tentando melhorar. A vida nos coloca nas mesmas armadilhas com fantasias diferentes, e fica difícil não cairmos nos mesmos erros. Daqui a alguns minutos, mais um dia chegará ao fim, mas não antes de ouvir a voz e saber como foi o dia dela, amiga, companheira. Aquele recado que a vida nos dá, sobre as pequenas rotinas que trazem a felicidade em nossas vidas. Rotina... as vezes ela parece ser uma inimiga, mas é preciso sabedoria para aproveitar essas simetrias que criamos em nossos dias, pois é fato que elas iram mudar. Em nossas memórias tudo é passível de saudade. Hoje meu preto foi talismã o vermelho minha espada, buscando vencer obstáculos, cortando o medo. Neste dia, em outros tempos, grandes guerras foram travadas. Em nome da liberdade, da soberania, da vaidade, para ter o direito de estar certo, em nome do poder. Massacres ocorreram pelas mãos dos homens e pela mão da natureza, levando milhares de vidas. Marcado por nascimentos e mortes de poetas, filósofos, escritores artesãos no pensar do viver e do morrer, um recado que a vida nos dá, será que temos salvação? O 13 alterna o claro e o escuro. Novamente peço aqui, mais "trezes" como esse, em que tento dialogar com as manias que a vida tem.