quinta-feira, 13 de agosto de 2015

13 de Outubro



Hoje é 13 de Outubro e eu me visto de preto e vermelho.
O calor surpreende neste domingo de primavera, até o clima parece perdido atualmente.
Acordei perto das 18h sem saber onde estava, o que tinha acontecido.
A última coisa que me lembrava era de estar reunido com meus amigos em minha casa, queríamos comer algo, mas não tinha nada na geladeira, nada realmente bom.
Saímos então para comprar alguma coisa e quando estávamos na rua um vapor quente nos assaltou.
A minha rua é uma ladeira, estava repleta de pessoas subindo e descendo. Parecia bem maior do que ela é. Ao ver a cena e pelo calor, as meninas sugerem pedir alguma coisa pelo telefone e voltam pra casa. Eu e meus dois amigos resolvemos descer a rua a pé.
O asfalto se transformou em areia amarela, camelos, pessoas de turbante, elefantes, os tons bege e pasteis tomavam conta da paisagem e eu de preto e vermelho. "Você não está com calor?" "Como consegue ficar assim?".
As casas foras substituídas por barracas, e nós três parávamos em algumas para verificar a mercadoria.
Muitas pessoas olhavam para mim, mas o foco da atenção muda quando sinos começam a tocar lá em cima da ladeira. Meus amigos se perderam por entre as pessoas sem rosto que me rodeavam. O céu escureceu. A multidão se reunia para a execução dos templários.

A garganta ainda ardia e o gosto do remédio ficou preso em minha boca seca. Sozinho no meu quarto, cabeça ainda zonza o dia se perdeu em delírios de febre e um sonho repetido que as vezes me assalta.
Já era por volta das 20h quando cheguei em Mogi, a beijei e o sentimento de vazio finalmente desapareceu.

Mais tarde, voltando pra casa, o farol do carro iluminou um cachorro vira-latas preto, uma mancha vermelha coroava sua cabeça e o chão a sua volta. O flash da imagem ficou em minha mente por mais 10 segundos.
Meu preto foi pelo, meu vermelho foi sangue.

Hoje, em outros tempos, acusados de traição foram executados, Santos fizeram sua última aparição, pela vida, sobreviventes de um acidente comiam seus companheiros mortos. 33 pessoas renasciam das profundezas da terra. Dia de nascimento de rainhas e morte de imperadores.  

O 13 alterna o doce e o amargo.

Faltam mais dois para o fim do ano.